Aqui você vai encontrar pensamentos de alguém que não aceita as coisas como são, que não tolera frases como "sempre foi assim, não vai mudar". Não esqueça são apenas pensamentos, e eles nem sempre farão sentido para você.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Que "Fantástico"

Domingo passado, assiste uma reportagem mostrada pelo programa Fantástico sobre os índios Kamayurá. Achei muito desagradável a forma que abordaram o assunto. Glória Maria, reporter da matéria, demonstrou todo o seu etnocentrismo em relação aos ídios. Ela não disfarçou o quanto acreditava que os rituais, quais descrevia, lhe pareciam primitivos.



Considerando o meu descontentamento com essa reportagem muito interessante, porém abordada de forma etnocêntrica, enviei o e-mail abaixo para o Fantástio.



"Boa Noite!Acabei de assistir a reportagem de Glória Maria sobre os indíos Kamayurá. Como aluna do curso de Ciências Sociais me incomoda ver a forma como essa reportagem está sendo abordada. Glória ao se referir aos rituais deste grupo indígina utiliza termos que podem distorcer a função do mesmo. Refiro-me a dizer que as mulheres quando menstruam ou ganham o filho são "obrigadas" a ficarem "presas" dentro das ocas. "Obrigadas" e "presas" são termos muito fortes e o que elas passam nesses períodos pode não ser encarado por elas desta forma. Essas mulheres consentem com o ritual, e talvez ele não as incomode como sugere a forma de descrever os fatos nesta reportagem. Quero chamar atenção para a maneira como essas reportangens vem sendo conduzidas. Deve-se ter um maior cuidado com o etnocentrismo cometido sobre os indígenas. Gostaria de pedir maior cautela, visto que esta reportagem pode vir a contribuir com o preconceito presente no senso comum sobre esses indivíduos."



E recebi a seguinte resposta:



"Larissa, gostariamos de registrar que respeitamos a sua opiniao e critica. Encaminhamos suas consideracoes diretamente para os produtores da materia. Criticas, sugestoes e elogios sao sempre bem-vindos.

Cordialmente,

Central Globo de Comunicacao"



Não espero muito, apenas gostaria que refletissem sobre o que lhes disse.

Um comentário:

InAriando... disse...

É Lari...
O complicado é ver o discurso dos estudantes de comunicação (estudo isso)sobre assuntos reelevantes nas aulas,principalmente nas que tratam dos temas da nossa sociedade.
E pior ainda, é ver professorores legitimando tamanha ignorância.
E por fim, conta para todos que tu fez a jornalista em questão pedir licença, heheheh.
Beijos